23 novembro, 2010

Meu Eu.

 Que prazer tenho quando chega aquela hora do dia, quando não tenho que ser mais nada, quando não tenho que ser de ninguém. Sou só de mim mesma, sem personagem algum. Geralmente até ai já passamos da meia noite. Até ai o cansaço se foi, e a cabeça começa a borbulhar seus pensamentos incessantes, suas ideias nada brilhantes, seu desejo de voltar a ser só matéria viva, sem ler os muitos detalhes minuciosamente escritos no tal roteiro.

 Eu sempre imaginei que quando a gente vive demais, acaba criando um roteiro pra própria vida. Talvez pelo simples fato de querer imortalizar-se. Mas quando se cria um roteiro o eu da gente, tadinho, ele dorme de desgosto porque não pode ser sem culpa. Quando a gente descobre tudo isso, sente um remorso tão grande. Dói demais descobrir que esqueceu do próprio eu...

 Mas pra isso tem solução! É preciso apenas acorda-lo. Com um pouco de calma e concentração, a gente senta e acorda o nosso eu, com um carinho bem bom, ou um cafuné. Encosta ao lado e conversa com ele, recorda das intimidades da infância, de brincar na banheira a tardezinha, de casar as bonecas e desenhar o sol quadrado, andar de bicicleta e deitar nas calçadas da rua jogando papo fora com as outras crianças.

 Eu tenho encontrado o meu eu nas madrugadas, quando o dia chega no fim e a fantasia de gente grande com a mascara das preocupações são trocadas pelo pijama. E tem sido bom, acho até que previne as rugas viu?
Peço a Deus que ajude a me livrar dessas fantasias e máscaras de gente séria e idosa - por dentro, e as vezes por fora também - que com o tempo vão querer se acumular em mim.

 Ai com certeza o próximo passo será: Deixar-se ser mais, de dia também.
- Pra acabar com as olheiras.
- Pro riso ficar mais leve.

 E pro meu eu ser sem culpa...

Um beijo estalado pro eu de quem leu!

Beatriz Oliveira.

12 comentários:

  1. Você escreveu esse texto pra mim? rs
    É lindo, incrível e real. Amei!

    "Geralmente até ai já passamos da meia noite. Até ai o cansaço se foi, e a cabeça começa a borbulhar seus pensamentos incessantes, suas ideias nada brilhantes" [...] "Eu tenho encontrado o meu eu nas madrugadas, quando o dia chega no fim e a fantasia de gente grande com a mascara das preocupações são trocadas pelo pijama."

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz que tenha gostado Mary! *-* e tido a paciência de ler também haha

    ResponderExcluir
  3. As vezes, me sinto culpada por ter me desapegado do meu eu. Sinto falta das longas conversas, da rotina serena, do anoitecer silencioso. Sinto falta de vê-lo todos os dias depois que eu acordo, refletindo no espelho...
    ...Quer saber? Fui ali, procurá-lo!

    ResponderExcluir
  4. que texto lindo *-* , seguindo aqui tb ;*

    ResponderExcluir
  5. adorei. Eu realmente me sinto na obrigação, de vem em quando, de não ser ninguem.

    Abraço.
    http://clubedosfracassados.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Fala sério!
    Vc escreveu pro 'meu eu"
    Se amar não é tão fácil assim neh?
    Beeijos!
    Amo seu blog!

    ResponderExcluir
  7. Oie amei o blog,e queria divulgar um concurso de #blogdavez que está tendo no meu blog,e o vencedor ganha varias coisas é so se incrver aquie
    http://things-of-teenager.blogspot.com/2010/11/blogdaveztt.html
    é rapidinho leia as instruçoes nesse link !
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Beatriz tem um Prêmio Dardos lá no meu blog pra você:
    http://iniciodeinverno.blogspot.com/2010/11/premio-dardos.html
    Adoro o priminho do meu blog rs <3

    ResponderExcluir
  9. Adorei o texto flor *-*
    O meu eu, como se identifica com tudo isso, toda essas palavras, com o todo, não só eu, mas como todas nós.
    parabéns flor, obrigada por seguir.
    beijinhos.

    ResponderExcluir
  10. Olha, ganhei um selo de qualidade e tinha que repassar pra você né!
    http://iniciodeinverno.blogspot.com/2010/12/selo-de-qualidade.html
    to aqui de novo rs.
    quero mais textos! <3

    ResponderExcluir
  11. Adorei o texto, Bia!!Muito bom,mesmo!
    Bjoo

    ResponderExcluir

opinião é sempre importante, não importa qual.